Twitter

+Todos

+pintura

Paula Seara

artes visuais, pintura

e-mail: paulaseara@vnet.com.br | telefone: 021 26210459

  • paulaseara1.jpg
  • paulaseara2.jpg
  • paulaseara3.jpg
  • paulaseara4.jpg

Pintora, Paula Ferreira Seara nasceu em Itajubá – MG, no ano de 1954.

Graduou-se em Educação Artística/ Desenho, pelas Faculdades Integradas Bennett – RJ, 1979. Cursou Desenho Artístico e Pintura no ateliê do pintor Bandeira de Mello, 1973/1975 e Papel Artesanal com Diva Buss, no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro – MAM, 1983, ambos no Rio de Janeiro. Estudou Pintura Gestual no Atelier Risco, com Isaura Pena, 1988; Aerografia e Fotolito com Fernando Vignoli, 1987 e Teoria da Arte e Pós Modernismo com o filósofo Moacyr Laterza, 1992, todos em Belo Horizonte – MG. Participou de curso de pintura com Daniel Senise e Luiz Ernesto, no Parque Lage – RJ, 1994 e Curso de Extensão em Arte Terapia, com Arimar Ferreira, na Universidade Federal Fluminense – UFF – Niterói, 1997.

Integrou o I Encontro Latinoamericano de Educação Através da Arte, 1980 e I Congresso Nacional de Arteterapia, 1996, estes no Rio de Janeiro, e ainda o I Encontro de Arte-Educação e Arte Terapia, Belo Horizonte – MG, 1992.

Foi assistente dos Projetos Comunitários de Cultura e Arte, realizados pela Prefeitura de Niterói, 1983; e educadora no processo de Reciclagem da Criatividade para os professores da rede municipal de Niterói, 1983.

Entre as exposições coletivas que participou, destacam-se: VI Salão de Verão, no MAM – RJ, 1974; V Salão do Jovem Artista, Porto Alegre – RS, 1976; Espaço Cultural IBM Brasil – BH, 1992; XXIII Salão de Belas Artes do Clube Naval – RJ, 1992; Inauguração da Galeria de Arte Pequena Suécia, Penedo – RJ, 1998 e Galeria de Arte da UFF – Niterói, 1998/1999.

Expôs individualmente na Galeria de Arte Máscaras, 1992 e no Restaurante Mandala, 1988, localizados em Belo Horizonte – MG; na Fundação de Artes de Niterói – FAN, 1997 e na Galeria Pequena Suécia, Penedo – RJ, 1998.

Recebeu o prêmio de pintura “500 anos de Descobrimento”, da Fundação Cultural Brasil-Portugal – RJ, 1998; segundo prêmio no concurso de cartazes para o Centenário do Teatro da Paz, Belém – PA, 1978 e também o segundo prêmio na categoria profissional do concurso nacional “Um Cartaz para a Anistia” – RJ, 1978.

“[...] Paula Seara reflete a perplexidade pós-moderna com relação aos novos rumos (estéticos ou não) da criatividade contemporânea.”
MOACIR LATERZA, 1989

“Um elemento recorrente na obra de Paula Seara é a água, principalmente como veículo de expressão. O elemento água simboliza nossa função sentimento. Isso é muito apropriado a uma artista que busca, honesta e intensamente, um encontro pleno entre material expressivo, corpo físico e emoção intensa.”
ARIMAR FERREIRA, 2000

” ‘Onde se esconde a chave secreta de todas as coisas? No ventre da natureza, na fonte original de toda criação? ‘, pergunta-se Paul Klee. O trabalho da artista plástica Paula Seara persegue esta busca em sua obra. Uma busca que visa encontrar a essência do gesto através de uma linguagem expressiva e pessoal. As ferramentas utilizadas para isso muitas vezes são as mais simples: a terra, a água, o sol, o vento com toda sua carga simbólica.”
KATHIA FERREIRA, 2000

perfil

Pintora, Paula Ferreira Seara nasceu em Itajubá - MG, no ano de 1954. Graduou-se em Educação Artística/ Desenho, pelas Faculdades Integradas Bennett – RJ, 1979. Cursou Desenho Artístico e Pintura no ateliê do pintor Bandeira de Mello, 1973/1975 e Papel Artesanal com Diva Buss, no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro – MAM, 1983, ambos no Rio de Janeiro. Estudou Pintura Gestual no Atelier Risco, com Isaura Pena, 1988; Aerografia e Fotolito com Fernando Vignoli, 1987 e Teoria da Arte e Pós Modernismo com o filósofo Moacyr Laterza, 1992, todos em Belo Horizonte - MG. Participou de curso de pintura com Daniel Senise e Luiz Ernesto, no Parque Lage – RJ, 1994 e Curso de Extensão em Arte Terapia, com Arimar Ferreira, na Universidade Federal Fluminense – UFF – Niterói, 1997. Integrou o I Encontro Latinoamericano de Educação Através da Arte, 1980 e I Congresso Nacional de Arteterapia, 1996, estes no Rio de Janeiro, e ainda o I Encontro de Arte-Educação e Arte Terapia, Belo Horizonte – MG, 1992. Foi assistente dos Projetos Comunitários de Cultura e Arte, realizados pela Prefeitura de Niterói, 1983; e educadora no processo de Reciclagem da Criatividade para os professores da rede municipal de Niterói, 1983. Entre as exposições coletivas que participou, destacam-se: VI Salão de Verão, no MAM – RJ, 1974; V Salão do Jovem Artista, Porto Alegre – RS, 1976; Espaço Cultural IBM Brasil – BH, 1992; XXIII Salão de Belas Artes do Clube Naval – RJ, 1992; Inauguração da Galeria de Arte Pequena Suécia, Penedo – RJ, 1998 e Galeria de Arte da UFF – Niterói, 1998/1999. Expôs individualmente na Galeria de Arte Máscaras, 1992 e no Restaurante Mandala, 1988, localizados em Belo Horizonte - MG; na Fundação de Artes de Niterói – FAN, 1997 e na Galeria Pequena Suécia, Penedo – RJ, 1998. Recebeu o prêmio de pintura "500 anos de Descobrimento", da Fundação Cultural Brasil-Portugal – RJ, 1998; segundo prêmio no concurso de cartazes para o Centenário do Teatro da Paz, Belém – PA, 1978 e também o segundo prêmio na categoria profissional do concurso nacional "Um Cartaz para a Anistia" – RJ, 1978.

crítica

"[...] Paula Seara reflete a perplexidade pós-moderna com relação aos novos rumos (estéticos ou não) da criatividade contemporânea." MOACIR LATERZA, 1989 "Um elemento recorrente na obra de Paula Seara é a água, principalmente como veículo de expressão. O elemento água simboliza nossa função sentimento. Isso é muito apropriado a uma artista que busca, honesta e intensamente, um encontro pleno entre material expressivo, corpo físico e emoção intensa." ARIMAR FERREIRA, 2000 " 'Onde se esconde a chave secreta de todas as coisas? No ventre da natureza, na fonte original de toda criação? ', pergunta-se Paul Klee. O trabalho da artista plástica Paula Seara persegue esta busca em sua obra. Uma busca que visa encontrar a essência do gesto através de uma linguagem expressiva e pessoal. As ferramentas utilizadas para isso muitas vezes são as mais simples: a terra, a água, o sol, o vento com toda sua carga simbólica." KATHIA FERREIRA, 2000